NOTÍCIA

Inovação

Já pensou que sua IES não precisa de um time 100% interno de marketing e sales?

Startup desenvolve e executa estratégias de marketing e inteligência comercial de forma ágil e sem custos excessivos para IES regionais

Publicado em 01/11/2022

por Apresentado por Crátilo

Bruno Barreto:: Atuamos como um braço da Instituição na coordenação das ações de comunicação, marketing e vendas (Foto: arquivo/Crátilo Educacional)

Entre os maiores desafios das instituições de ensino superior privadas hoje, está a necessidade de ampliar sua base de alunos, otimizando recursos humanos, financeiros e tecnológicos. Fazer bom uso dos dados, possuir equipes qualificadas e ter visão estratégica tornaram-se condições fundamentais para as IES regionais aperfeiçoarem seus processos de captação e retenção.

Mas como conseguir tudo isso sem um orçamento extraordinário? Essa foi uma das perguntas que motivou o fundador e CEO da startup Crátilo Educacional, Bruno Barreto, a compreender que uma solução possível seria praticar a gestão desses processos de forma compartilhada, a partir do conceito de “CMO as a service”.

Bruno Barreto:: Atuamos como um braço da Instituição na coordenação das ações de comunicação, marketing e vendas (Foto: arquivo/Crátilo Educacional)

Um modelo de prestação de serviço, nas áreas de marketing e inteligência comercial, em que os mantenedores e seu corpo diretivo passam a dividir a responsabilidade pela captação e retenção de alunos com um time de profissionais altamente experientes em planejar, executar e avaliar estratégias e resultados.

Leia também: ‘Educação presente para o futuro’ retrata a potência da tecnologia na sala de aula

Pioneira em implantar o serviço de “CMO as a service” no mercado educacional brasileiro, a Crátilo Educacional tem auxiliado instituições regionais em diferentes regiões brasileiras a desenvolver e executar suas estratégias de marketing e inteligência comercial de forma ágil e sem custos excessivos.

O que é CMO as a Service?

“CMO as a Service” é um modelo no qual a instituição de ensino passa a contar com profissionais experientes para orientar suas estratégias sem, necessariamente, ter que incorporá-los à sua estrutura institucional.

Muito usado por empresas europeias e americanas, esse tipo de prestação de serviço oferece às empresas a oportunidade de ter profissionais com larga trajetória de mercado em áreas estratégicas, dedicados às suas operações por meio da gestão compartilhada.

“Atuamos como um braço da Instituição na coordenação das ações de comunicação, marketing e vendas e ajudando todo o time a enxergar suas funções, deveres, prazos, entregas e, principalmente, quais são os resultados esperados e como melhor atingi-los”, explica Barreto.

A partir desse modelo de atuação, as IES passam a ter direcionamento estratégico nas áreas de marketing e inteligência comercial, assim como entram em contato com as melhores práticas do mercado, sempre respeitando o princípio da exclusividade.

O que permite aos mantenedores incorporarem em suas instituições uma equipe altamente qualificada e com a expertise necessária para inovar em seus processos de captação e retenção de alunos sem, necessariamente, ter que aumentar seus custos com folha de pagamento.

A importância de uma equipe de marketing educacional qualificada

Ter um time de marketing e vendas bem alinhado requer tempo e investimento, são inúmeras as funções que podem compor esse universo: estrategista de marketing, especialista em redes sociais, inbound marketing, SEO, marketing de conteúdo, tráfego pago, analista de dados, entre muitos outros.

Também é preciso ter acesso às ferramentas certas para monitorar seus resultados e criar inteligência de negócios para que a instituição de ensino alcance suas metas, como sistemas de gestão de ensino, automação de marketing, CRM educacional, Business Intelligence, entre outras.

Não é estranho que, diante de tamanhas mudanças de cenário, muitas IES acabem precisando de apoio na implementação de novas práticas nas áreas marketing e inteligência comercial. Com os mesmos desafios dos grandes players do setor, a diferença está no fato de muitas instituições regionais não possuírem as mesmas condições de investimento em gestão estratégica e governança que os consolidadores de mercado.

“O modelo de CMO as a service permite que a Crátilo Educacional continue avançando em sua missão de permitir que instituições de todos os portes tenham acesso às melhores práticas de gestão educacional alinhadas aos preceitos de sustentabilidade e otimização de custos”, afirma CEO da startup.

Assim como Barreto, o time de executivos é composto por profissionais com mais de 15 anos de experiência no setor educacional e com passagem por importantes grupos educacionais. Experiência e conhecimento de mercado que facilita a implementação, a operacionalização e o monitoramento das equipes dedicadas aos processos de captação e retenção.

De acordo com a Gidel Deungaro, Head de Marketing da Crátilo Educacional, “um planejamento estratégico bem definido, focado na demanda de mercado e no conhecimento do público em potencial, vai auxiliar na elaboração e realização de ações ideais para o atingimento de meta com otimização dos recursos em todas as áreas”.

Para Gidel, outra possibilidade trazida pelo modelo de CMO as a service aos clientes atendidos pela startup é a personalização de práticas, antes consideradas distantes, para uma parcela de instituições de ensino.

Sob a perspectiva da inteligência comercial, Claudia Andrade, Head de Sales da empresa, detalha como esse trabalho pode ser aplicado na área de vendas: “aplicamos a inteligência comercial como estratégia na captação de alunos com o objetivo de gerar mais assertividade no time de conversão – atuamos do backstage do processo à prospecção ativa, com análise bastante preditiva”, destaca.

Claudia explica que o direcionamento realizado pela Crátilo é norteado por meio dos melhores indicadores comerciais, como pesquisa de mercado e tecnologia, e a partir dessas informações, “os captadores são orientados para a assertividade nos resultados diários, gerando confiança, consistência e autoridade na força de vendas”, detalha a Head de Sales.

Num cenário em que as instituições que têm obtido bons resultados são as que já compreenderam a necessidade de profissionalizar o processo de captação e fidelização de alunos investindo, principalmente, em marketing estratégico, inteligência comercial, tecnologias e recursos humanos. Buscar soluções que possam trazer mais estratégia e resultados com menos recursos internos pode ser uma alternativa fundamental para o novo momento que as instituições regionais vivem.


Para saber mais sobre o modelo “CMO as a Service”, entre em contato com a Crátilo em cratilo.com

Autor

Apresentado por Crátilo


Leia Inovação

Tecnologia para aproximar universidade e mercado

Tecnologia para aproximar universidade e mercado

+ Mais Informações
Inovação

Por que as IES falam tanto sobre inovação – e deveriam falar ainda mais

+ Mais Informações
Universidade inovadora

Os pilares de uma universidade inovadora

+ Mais Informações
Mercado

O guia definitivo de verdades inconvenientes

+ Mais Informações

Mapa do Site