Educação

Colunista

Thuinie Daros

Diretora de planejamento acadêmico na Vitru Educação

Por que personalizar a experiência de aprendizagem dos estudantes?

Para compreender o que significa educação personalizada vale conhecer as diferenças entre os conceitos de individualização e diferenciação na educação

pexels-tim-gouw-52608 Personalização da educação auxilia no pleno desenvolvimento do ser humano

Se você é professor ou gestor, já deve ter percebido que cada um dos seus estudantes possui suas singularidades, interesses, estilos, ritmos e talentos específicos e peculiares capazes de responder de modo único aos estímulos de aprendizagem. 

Muitos profissionais da educação acreditam que personalização da educação é o mesmo que ofertar uma única experiência de aprendizagem para cada estudante por meio da aplicação de um plano de aula com atividades individuais. 

E pelas dificuldades óbvias trazidas pelo planejamento e operacionalização que a oferta de um plano de aula para cada um dos alunos traz, acabam-se distanciando desta possibilidade. Entretanto, posso afirmar que a personalização não é bem por este caminho.

Para compreender o que significa educação personalizada vale conhecer as diferenças entre os conceitos de individualização e diferenciação na educação.

Leia: Por que as IES falam tanto sobre inovação – e deveriam falar ainda mais

Individualização 

A individualização se concentra em abordagens de ensino e aprendizagem planejadas para cada um dos estudantes individualmente, desconsiderando como participante de sua própria aprendizagem. De modo objetivo, o professor elabora um programa de ensino para cada um dos estudantes, que por sua vez, possuem a tarefa de cumprir o programa desenhado. 

Diferenciação

A diferenciação é caracterizada pelo agrupamento dos estudantes em função de suas características homogêneas (turma, ano, disciplina, etc) mas garante que o potencial individual seja desenvolvido por meio de sua participação, ainda que em maior ou menor grau, em relação ao próprio processo de aprendizagem, permitindo que façam escolhas conscientes sobre o que aprendem, como aprendem, quando aprendem e com quem aprendem por meio da oferta de um currículo e objetos de aprendizagem mais flexíveis.  

A personalização da educação consiste exatamente na capacidade de diferenciação da experiência de aprendizagem dos estudantes atendendo às expectativas, gerando valor e consequentemente, representando um indicador de qualidade relevante no contexto da educação da contemporaneidade. 

Quando se disponibiliza vídeos, atividades, materiais pedagógicos variados e simuladores, por exemplo, os estudantes podem fazer escolhas que atendam suas necessidades de aprendizagem e este é um modo de qualificar a experiência por meio da personalização. 

Não é à toa que a oferta de uma educação personalizada tem se apresentado como uma das maiores tendências da educação brasileira e também no mundo.

Para que não haja dúvida, vale esclarecer que a personalização da aprendizagem é uma abordagem que por meio de recursos pedagógicos e tecnológicos possibilitam que os conhecimentos estabelecidos pelos objetivos de aprendizagem sejam apropriados e desenvolvidos pessoalmente, respeitando os tempos, ritmos e estilos estabelecidos pelas singularidades dos estudantes.

Neste contexto, termo aprendizagem personalizada refere-se ao resultado do processo que consiste na aplicação de estratégias que respeitem as limitações e talentos de cada um, levando em consideração o fato de que o aprendizado ocorre por meio de diferentes maneiras e velocidades, e que seus conhecimentos prévios, habilidades e interesses podem variar muito. 

Leia: Deixar a inteligência artificial passar seria ‘perda inestimável para os jovens’, avalia especialista

É por isso que a personalização é a chave para transformar a educação

No século 20, devido às dificuldades de acesso às informações e conhecimentos já produzidos, fazia sentido agrupar os estudantes por turmas e faixa etária e oferecer a eles um aprendizado padronizado por meio de atividades repetitivas com o intuito fazê-los memorizar estes conhecimentos produzidos historicamente. 

Mas, ao compararmos com os avanços de hoje e levar em conta os impactos da transformação digital, ofertar uma solução única e invariável, centrada na transmissão dos conhecimentos pelo docente, não impulsiona os estudantes a desenvolverem seus projetos de vida, comunicarem e resolverem problemas complexos.  Isso significa dizer que os modelos de educação conservadores e tradicionais não atendem ao desenvolvimento das diferentes dimensões da formação humana como almejado pela concepção de educação personalizada.  Eles também não oportunizam subsídios aos estudantes para lidarem com as novas e crescentes demandas sociais atuais.

Para que isso de fato seja uma realidade, as IES precisam se fundamentar na promoção de práticas educativas que favoreçam o desenvolvimento da singularidade, criatividade, autonomia, abertura ao novo, comunicabilidade, etc., além do conhecimento técnico relevante, como princípios basilares.

Por isso a educação personalizada almeja que os estudantes desenvolvam a autoconsciência e a consciência da realidade que os cercam. Assim, essa concepção pauta-se na reconfiguração das práticas educativas, que atendam as especificidades, as subjetividades, os tempos e os ritmos de aprendizagem de cada pessoa.

Convém registrar que, não necessariamente, a educação personalizada envolve a aplicação de tecnologias digitais em sala de aula, muito embora, trata-se sobretudo de pensar, propor e implementar práticas educativas que priorizam a autonomia, o protagonismo e o pleno desenvolvimento de cada estudante.

Práticas e estratégias

Diferentes estratégias são utilizadas para promover o aprendizado personalizado. Algumas centradas no uso de plataformas adaptativas, outras por meio de abordagens híbridas, e mesmo com o uso de metodologias não digitais são capazes de personalizar a experiência de aprendizagem. No entanto, obviamente com um maior aparato digital disponível, a capacidade de personalização torna-se mais poderosa, relevante e escalável. Isso permite a realização de ciclos de feedback, criação de dashboards e mapeamento dos interesses e performance dos estudantes durante a realização de suas atividades. E possibilita a oportunidade de qualificação imediata por meio da análise e intervenções da equipe  gestora a partir dos resultados. 

O fato de muitas IES possuírem infraestrutura, recursos didáticos e formação docente mais sensíveis e associados a uma cultura escolar tradicional e conservadora com um currículo definido por série/ano e sem a participação dos estudantes em sua organização pode tornar a implementação de uma educação personalizada um grande desafio.  

Mas vale o esforço em modificar as práticas atuais visto que a personalização da educação se tornou uma das abordagens pedagógicas mais importantes, altamente estruturada e responsiva à aprendizagem de cada criança e jovens e adultos para que todos possam progredir, alcançar e participar. É por isso considerada um indicador de qualidade, devido às possibilidades de oferta de uma experiência significativa, que atenda os interesses individuais bem como as demandas da sociedade. 

Como resultado, a personalização da educação auxilia no pleno desenvolvimento do ser humano, incluindo aspectos cognitivos, emocionais, sociais, culturais, entre outros, ampliando as possibilidades de se fazer educação no país, com ou sem tecnologia digital, para pessoas em todos os níveis e modalidades de ensino.

Leia também: Geração distração

Por: Thuinie Daros | 29/08/2022


Leia mais

Mercado

O guia definitivo de verdades inconvenientes

+ Mais Informações
Pensamento antecipatório

Reimaginando a educação superior com pensamento antecipatório

+ Mais Informações
Currículo oculto

A importância de lançar luzes sobre o currículo oculto

+ Mais Informações
Miopia conceitual

Morreu de que? De miopia

+ Mais Informações

Mapa do Site