Governo da Nova Zelândia mira cooperação acadêmica com o Brasil

A Education New Zealand organizou recentemente encontro em São Paulo com nove instituições brasileiras presentes

SHARE
, / 1

A Education New Zealand, agência do governo da Nova Zelândia, quer se aproximar das instituições de ensino superior brasileiras para estabelecer acordos de cooperação acadêmica.

Recentemente, a entidade organizou um encontro em São Paulo, do qual participaram oito universidades neozelandesas, entre elas Auckland University of Technology, Massey University e University of Waikato, e nove instituições brasileiras, incluindo USP, Unicamp, FGV, Insper e FIA.

Leia também:

Três dicas para fortalecer as redes de cooperação

De acordo com Ana Azevedo, representante da agência no Brasil, o maior interesse não é tanto a promoção da mobilidade estudantil, mas sim a cooperação em pesquisa.

Um levantamento feito pela Capes mostrou que, em média, os estudos produzidos em conjunto por brasileiros e neozelandeses têm alcance maior que os estudos produzidos isoladamente em cada um dos países.

A diretora da agência ressalta que, apesar da distância geográfica e das diferenças culturais, os países têm vários interesses em comum, o que propicia as parcerias. Entre os temas com potencial para unir as duas pontas, ela cita: energias renováveis, preservação de culturas indígenas e agricultura.

Este último campo interessa particularmente os neo zelandeses, que têm grande expertise na aplicação de tecnologias no campo. Uma nova delegação virá em outubro deste ano, adiantou Azevedo, para dar continuidade a esse projeto de aproximação.

Cooperação acadêmica
Foto: Shutterstock

Leia também:

Inovações acadêmicas: o que aprender com Portugal

Entenda por que o ensino superior precisa de uma política pública

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN