Ânima Educação investe em moradia estudantil

Investimento pode chegar a R$ 8 milhões e é uma aposta em “mercado inexplorado”. Moradias estarão vinculadas às instituições e inclusas na mensalidade

SHARE
,
moradia estudantil
Projeto pretende impactar os mais de 330 mil universitários, de 18 instituições de ensino superior da Ânima Educação pelo Brasil (Foto: Envato Elements)

Parceria entre a Ânima Educação, grupo educacional detentor de instituições de ensino pelo Brasil e a Uliving, empresa do ramo imobiliário, visa a consolidação do conceito de student housing (moradia estudantil), ou seja, as famosas repúblicas. O mercado era até então inexplorado no Brasil, segundo Juliano Antunes, fundador da Uliving.

Em um investimento que pode chegar a R$ 8 milhões, a primeira unidade a ser inaugurada, em Santos, litoral paulista, conta com 218 suítes e terá como primeiros inquilinos, os alunos da Universidade São Judas Tadeu. A proposta vincula a moradia às instituições de ensino.

Leia: A difícil busca da sustentabilidade

Para Rafael Ciccarini, diretor regional da Ânima Educação, responsável pela viabilização do projeto, o intuito é beneficiar e atender a um público cada vez mais crescente de estudantes que deixam suas cidades para estudar.

“Os estudantes de medicina, por exemplo, vêm de diversas regiões do Brasil e por vezes, até de outros países e estudam em tempo integral. Ao chegar em casa precisam de fato de uma rede de suporte, por isso, esta aliança é tão significativa para o nosso ecossistema, pois facilita a rotina dos alunos quando estão fora da instituição e permite que eles foquem seu tempo nos estudos”, explica.

Tudo incluso

Antes, o prédio desta unidade da Uliving era comercial. “Compramos e reformamos o prédio, o que antes era ocupado por salas comerciais, agora foi inteiramente adaptado para moradia estudantil, totalmente adequado ao estilo de vida universitário. Essa mudança de uso possibilita revitalizarmos o estoque imobiliário da cidade, sem necessariamente construir algo do zero”, acrescenta Giuliano Ricci, head da área residencial na VBI Real Estate, gestora de fundos de investimentos

O morador não precisará de fiador para assinar contrato e terá acesso a um quarto mobiliado, áreas comuns como cozinha, coworking, sala de estudos, sala de jogos, lavanderia, além de todas as contas básicas inseridas em uma só mensalidade como internet, luz e água. O projeto pretende impactar os mais de 330 mil universitários, de 18 instituições de ensino superior da Ânima Educação pelo Brasil.

República Uliving
Arte/projeto: arquiteto Beto Magalhães

Um mercado que apenas está engatinhando

Segundo o fundador da Uliving, Juliano Antunes, o acordo vai muito além de oferecer uma estrutura física. “O nosso objetivo, desde o início, não é só oferecer uma experiência exclusiva em um mercado inexplorado de forma profissional até então, mas também promover aos jovens do Brasil e de todo o mundo, o senso de comunidade, estimular a troca de experiências e aproximar os jovens do mercado de trabalho – elementos que ajudam na formação do ser humano e do profissional”.

“Estamos entusiasmados em desenvolver com a Ânima Educação a criação de uma experiência universitária completa para os seus alunos por todo o Brasil. Embora a moradia estudantil tenha provado sua resiliência como classe de ativos imobiliários institucionais na América do Norte, Europa, Austrália e outros lugares, a oferta de acomodação institucional e uma experiência universitária holística, está apenas iniciando no mercado brasileiro”, comenta Ken Wainer, sócio-fundador da VBI Real Estate.

De olho no pós-pandemia

“Esta aliança é totalmente inédita e exclusiva no Brasil, estamos oferecendo aos nossos alunos a possibilidade de ter uma experiência universitária completa e inovadora, que proporcionará conexões e aprendizados que vão além da sala de aula. A proposta está totalmente em linha com o DNA da companhia em possibilitar que os nossos estudantes estejam em contato com o que há de mais moderno e inovador no mercado educacional, contribuindo para o seu desenvolvimento integral”, ressalta Marcelo Bueno, CEO da Ânima Educação.

Já para Daniel Castanho, Presidente do Conselho de Administração da Ânima Educação, a novidade representa para a companhia o embrião de um formato inovador de ambiente universitário. “Essa aliança rompe as paredes entre a universidade e a casa do estudante, revolucionando a sua experiência e conexões, trazendo a universidade para perto de uma forma cada vez mais simbiótica. Além de apresentar uma nova realidade de um mundo que vai evoluir ainda mais no período pós-pandemia”, finaliza o executivo.

Leia também

Faculdade com jeito de startup

Trevisan vira 100% digital e pode indicar caminhos

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN