Terceira idade cresce em número de matrículas EAD

Em 2018 o aumento das matrículas de idosos em cursos de ensino a distância já era de 40%, segundo dados do MEC. Especialista em educação e tecnologia avalia o cenário e os aspectos pedagógicos desse fenômeno

SHARE
,

A pandemia da covid-19 está estimulando cada vez mais o consumo de internet por pessoas com mais de 65 anos. Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Lojistas (CNDL), pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com a Offer Wise Pesquisas, mostrou que 94% da terceira idade no Brasil relatou mudanças na vida cotidiana durante a pandemia e que o acesso desse grupo à internet chegou a 97% já em 2021. E parece que a principal busca deles tem sido curso superior online.

Dados do MEC em 2018 já evidenciavam em 40% o aumento de idosos matriculados em IES na modalidade EAD. A Ambra University, universidade americana para estudantes brasileiros, atuante no país há 10 anos, também notou o aumento da procura da terceira idade por seus cursos em 2020.

Leia: Sobrevivência: expansão de matrículas e investimentos sustentáveis

terceira idade
Foto: Freepik

Quem comenta esse cenário é um dos representantes da Ambra, Alfredo Freitas, diretor de educação e tecnologia na universidade: “É muito comum que essa parcela da sociedade se beneficie das vantagens do ensino via internet, principalmente nesse momento. Também é, neste momento da vida, que, em geral, se tem maior clareza de como o estudo agrega inclusive do ponto de vista existencial. Muitos de nossos alunos nesta faixa etária, já estão com carreira profissional e vidas estabilizadas o que facilita a escolha. Eles enxergam no curso superior uma chance de se manter conectados”, argumenta.

Abandono de preconceitos com a melhor idade

Ainda para Alfredo Freitas, o sistema educacional brasileiro, de modo geral, deve normalizar o ingresso de pessoas mais velhas em cursos superiores. “Considerando o crescimento exponencial do ensino via internet no Brasil e no mundo, haverá cada vez menos barreiras para as pessoas na terceira idade iniciarem um curso superior seja no Brasil seja no exterior. Precisamos terminar, de uma vez por todas, com o preconceito de que as pessoas na terceira idade não podem mais realizar nada”, afirma o educador.

“A pandemia acelerou a busca por ensino via internet. Em dez anos, o crescimento dos ingressantes ensinos a distância foi de 226%, contra 19% da modalidade presencial e o número superou as expectativas para o ano 2020. Dados recentes mostram que já são quase 10 milhões de brasileiros matriculados no ensino à distância, dentre esses a terceira idade”, analisa Freitas.

Leia também:

Sem vacina, não dá

5 aprendizados da pandemia para pautarmos o ensino em 2021

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN