NOTÍCIA

Inovação

Integração entre alunos, professores e jovens afegãos

Projeto lançado pela ESPM se alinha aos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (ODS). Instituição prevê a abertura de duas turmas para 2023 e conta com o suporte do corpo acadêmico

Publicado em 10/05/2023

por Gustavo Lima

Projeto Acolhitude Foto: Freepik

A ESPM lançou no sábado, 29 de abril, o projeto Acolhitude. Ligado às práticas de ESG, o programa é voltado para a integração social de jovens migrantes afegãos residentes da região metropolitana de São Paulo. Atualmente em fase de processo seletivo, a iniciativa deve estabelecer a primeira turma com um total de 30 participantes. A previsão é de que os encontros aconteçam a partir de junho.

O projeto faz parte da recém-criada Diretoria de Projetos Sociais, que visa ampliar o papel social da instituição. Flávia Flamínio, antes diretora-executiva na ESPM, é quem assume o comando da nova vertente. Segundo a profissional, a integração dos jovens participantes ocorrerá por meio de ações socioeducativas. Com carga horária de 40 horas, divididas em 20 encontros presenciais, o Acolhitude é gratuito, acontece aos sábados e terá duração de três meses. “O jovem interessado deve ter entre 15 e 24 anos, ser originário do Afeganistão, migrante e residente da Grande São Paulo. Além de ter o benefício do visto humanitário e solicitante de refúgio reconhecido pela legislação brasileira”, lista.

 

Funcionamento do projeto

 

Com a iniciativa, a ESPM busca transmitir acolhimento e dignidade aos migrantes. Entre os pilares do projeto, há também a interculturalidade e a socialização entre instituição e participantes. Dividida em quatro etapas, a jornada conta com oficinas de comunicação, língua portuguesa, vivências transformadoras e integração. A carga horária distribuída para cada etapa pode ser vista no site da Escola (acesse). O processo seletivo será por meio de entrevista motivacional e terá apoio da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Flávia Flamínio

Flávia Flamínio, diretora de Projetos Sociais da ESPM (Foto: arquivo pessoal)

As oficinas serão ofertadas por professores e contarão com a presença de um tradutor. Sobre a importância de projetos sociais para as IES, Flávia destaca: “Aprendemos através do exemplo, educar no sentido amplo é uma obrigação da escola”. Os estudantes da instituição também estão vinculados ao programa, em especial os alunos de relações internacionais que, segundo a diretora, se mostram entusiasmados com a iniciativa. “Os alunos serão como padrinhos para os participantes. Desenvolverão atividades junto aos professores e darão suporte na integração com a promoção de jogos, acesso à biblioteca, entre outros”, diz.

Conforme a diretora de Projetos Sociais, o Acolhitude está alinhado aos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (ODS), com foco na erradicação da pobreza, na educação de qualidade, igualdade de gênero, redução das desigualdades e parcerias para meios de implementação. A ESPM prevê a abertura de uma nova turma ainda para 2023.

 

Leia também: Motivação do corpo docente é desafio para a gestão

Autor

Gustavo Lima


Leia Inovação

IA generativa

Experiência em novos patamares, o desenho da educação

+ Mais Informações
Sobre caravelas e esperança | Inovação

Sobre caravelas e esperança

+ Mais Informações
Universidade de Coimbra

Coimbra inova com inclusão, energia renovável e tecnologias

+ Mais Informações
Brazil Conference

Brazil Conference reúne pesquisadores brasileiros em Harvard e no MIT

+ Mais Informações

Mapa do Site