NOTÍCIA

Gestão

José Roberto Covac, a falta que ele fará

O advogado José Roberto Covac faleceu aos 63 anos no dia 4 de abril; profissionais do setor prestam suas homenagens

Publicado em 04/04/2024

por Ensino Superior

José Roberto Covac Respeitado dentro e fora do escritório, Covac foi um grande líder do setor (foto: arquivo)

Generoso, carismático e trabalhador, assim é descrito o advogado José Roberto Covac por amigos e colegas de trabalho. Diretor jurídico do Semesp e referência no setor educacional, o especialista faleceu aos 63 anos numa quinta-feira, 4 de abril, deixando um legado de grandes conquistas para a educação superior brasileira.

Para Rodrigo Capelato, diretor-executivo do Semesp, Covac foi “uma das principais referências em termos de educação superior no Brasil” e, em outras palavras, “uma pessoa fantástica que fará uma falta imensurável” 

“Covac esteve presente nas lutas em prol da educação superior e, principalmente, da educação superior privada, como os marcos históricos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, do Prouni e do Fies. É incontável a quantidade de momentos históricos em que o Covac esteve defendendo o ensino superior. Para o Semesp é um ícone, está desde 1995, fundou a assessoria jurídica e ajudou em todas as nossas construções. A história do Semesp se confunde com a história dele”, detalha Capelato. 

No âmbito pessoal, Capelato encontrou em Covac um irmão. “Falávamos que um era irmão do outro. O que vai ficar é um grande amigo, um dos melhores que a vida me deu.”

Tido como peça fundamental no setor, a Covac Advogados é uma das grandes conquistas do advogado. “Começou lá de baixo e o escritório já é um dos maiores do setor, que mais entende de direito educacional”, define Capelato.

 

José Roberto Covac

Covac esteve presente em momentos históricos do setor (foto: Tomas May)

Mais de três décadas

Para Lúcia Teixeira, presidente do Semesp e da Unisanta, Covac era o grande especialista em direito educacional, “minha principal referência nessa área”. Os laços se estreitaram com o tempo. “Estava no Semesp havia mais de 35 anos, participava ativamente. Ele conhecia a trajetória não só do Semesp e das outras entidades, como também da minha família e da Unisanta. Como amigo e consultor educacional, esteve presente em vários momentos familiares. Ele tinha narrativas em que contava os bastidores, os fatos engraçados e pitorescos.”

Na comemoração dos 45 anos do Semesp, em março, Lúcia o escalou para homenagear um dos dois ex-presidentes da entidade, Ernani Bicudo de Paula e Paulo Cardim. “Ele entregou a  homenagem ao ex-presidente Ernani.” Ele dedicava um carinho genuíno àqueles que estavam afastados dos postos de comando, telefonando para alguns com assiduidade.

Covac era dedicado à família, “sempre se referia à mãe e falava do amor pela esposa Iara. Enviava notícias e fotos dos filhos – José Roberto Júnior, Fernando e André, e de seus netinhos, Thiago e Catarina. Com isso, com certeza, acabamos fazendo parte da sua família também”.

“Covac me contou que quando jovem começou a trabalhar como ajudante numa floricultura. Ele era uma pessoa lutadora e aprendeu com a vida e eu aprendi muito com ele sobre o direito educacional. Às vezes me perguntam se sou advogada, porque falo sobre o direito educacional, mas foi a vivência com o Covac que me deu esse conhecimento.” 

Além de excelente profissional, era dono de grande espiritualidade, conta Lúcia, para quem “Covac foi chamado pelo Pai para resolver grandes demandas e questões judiciais, para as quais ele sabia como ninguém dar a solução. Eu acho que, em meio a tantos espinhos, ele continua entregando rosas, tirando pedras e abrindo os caminhos.”

 

Carismático e educado 

José Roberto Covac

Rodrigo Capelato: “A história do Semesp se confunde com a dele” (foto: Gustavo Morita/Revista Ensino Superior)

Nas palavras da advogada Raquel Torcani Carmona, a partida de Covac representa a perda de um pai. “Meu primeiro emprego em São Paulo foi no escritório dele. Trabalhamos juntos por 20 anos, ele me orientou e me trouxe para o Semesp, confiava plenamente na nossa parceria. O Covac nos dava carta branca para tocar as demandas, sempre tivemos muita autonomia e confiança da parte dele”, relata.

Gerente do departamento jurídico do Semesp, Raquel comenta algumas virtudes do amigo. “Muito carismático e muito educado.” Além de tomar a frente das questões jurídicas da entidade, foi responsável por conduzir as negociações e tratativas salariais com a federação dos professores e auxiliares. “Sempre liderou essa frente do Semesp que é tão importante. A negociação de São Paulo, com relação a reajuste salarial, reflete em todo o país. São Paulo é o vagão que puxa a locomotiva”, ressalta.

 

Relembre: Covac conta histórias sobre a fundação do Semesp

 

Daniel Cavalcante Silva é advogado na Covac Advogados. Ao lado de José Roberto Covac – a quem considera um irmão mais velho – publicou livros dedicados aos mantenedores das IES. “Ele não estava preocupado em aparecer, mas em resolver a situação. Um cara muito acolhedor, que tinha sempre uma palavra para acalentar nos momentos difíceis”, conta. “Acima de tudo, era muito dedicado. Tinha uma dedicação incansável à educação e foi esse comprometimento que o fez ser uma pessoa bastante reconhecida.”

Respeitado dentro e fora do escritório, Covac é apontado como um grande líder. “Ele me acolheu como irmão mais novo, me dava conselhos. Tínhamos uma parceria muito grande. Quando escrevíamos juntos, sabíamos o que cada um pensava. Era muito fácil trabalhar com ele. Ele gostava de cozinhar, fazia uma feijoada ótima para a família e chamava todo mundo, todos os amigos”, relembra Daniel. 

Edimilson Cardial, publisher da revista Ensino Superior, conta que Covac sempre foi um colaborador da revista. “Falava sobre pautas, escrevia artigos, sugeria nomes, alertava a redação sobre omissões que podiam magoar pessoas. Avesso a qualquer idiossincrasia, Covac era amigo de todos. Sua grande satisfação era contar os casos que não podiam ser publicados, os bastidores da história do ensino superior. Distensionava as relações com seu bom humor permanente.”

 

Entidades do setor se manifestam

O presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), Celso Niskier, destaca a importância de Covac na sua vida pessoal e profissional. “Foi por meio dele que entrei na Abmes, 15 anos atrás. Devo a ele a minha carreira na entidade representativa que eu presido.” Covac também é apontado como referência e personalidade fundamental para o setor. “Sempre agiu com muita sabedoria, experiência, bom-senso e conhecimento jurídico.  Ele fará enorme falta neste momento em que precisamos da união de todos para enfrentar os desafios do setor, principalmente as discussões sobre novas formas de financiamento e o novo modelo regulatório, temas presentes no Fórum Brasil Educação, do qual ele também participava.” 

“A educação do país perde um dos maiores advogados do direito educacional, um grande baluarte nas legislações da escola particular”, afirma o professor Eugênio da Cunha, presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep). A vice-presidente e representante da Fenep no Fórum, professora Amábile Pacios, também prestou sua homenagem. “Perdemos um amigo leal e um guerreiro do front em defesa da educação. Recebemos a notícia com muita dor e apenas Deus pode nos confortar.”

Ana Elisa Dumont Scussel, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF) afirma que “o setor educacional perde hoje uma pessoa que desenvolveu um trabalho renomado e ímpar no setor privado educacional.” 

Autor

Ensino Superior


Leia Gestão

Uniube

Expansão no Triângulo Mineiro é resultado de tradição e ousadia

+ Mais Informações
Fernanda Verdolin

Cultura de carreira pode garantir empregabilidade

+ Mais Informações
Marina Feferbaum

Novas demandas mundiais transformam a sala de aula

+ Mais Informações
Taiguara Langrafe é organizador do FinancIES

FinancIES: diretores executivos questionam ensino superior

+ Mais Informações

Mapa do Site