NOTÍCIA

Gestão

Especialistas compartilham cases de sucesso em encontro de gestores

Terceira edição do Meeting Educacional reunirá especialistas que abordarão os desafios e oportunidades do setor

Publicado em 18/06/2024

por Ensino Superior

Terceira edição do Meeting Educacional será em Salvador A terceira edição do Meeting Educacional acontece no dia 17 de julho no Hotel Mercure, em Salvador

Mantenedores, reitores, gestores e outros profissionais do setor irão se reunir  para discutir o cenário da educação superior brasileira em Salvador, Bahia, no mês de julho. Especialistas convidados para a terceira edição do Meeting Educacional irão abordar os desafios e oportunidades do setor, além de compartilhar cases de sucesso com o público. Confirmados no evento, Vidal Martins, vice-reitor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), e Rodrigo Bouyer,  VP de mercado e RelGov na Somos Young, adiantam o que os participantes podem esperar de suas apresentações.

 

Pós-graduação digital

Vidal Martins

Vidal Martins, vice-reitor da PUCPR: “As pessoas procuram formações mais curtas” (foto: arquivo)

Martins levará a experiência da PUCPR com o programa de pós-graduação digital da instituição, que teve início em abril de 2021 com seis cursos. Atualmente, os estudantes de outros estados do país representam 48% do total de matrículas, enquanto 52% dos alunos são do Paraná.

Para o vice-reitor, o modelo em que a pós digital é aplicada não se trata apenas de um EAD “autoinstrucional” – quando não existe interação com professores e outros alunos. “Predomina o EAD, mas os cursos também contam com momentos projetados para que haja interatividade entre docentes e discentes por meio de lives e vídeo-conferências”, diz.

Os cursos do programa de pós digital têm duração de um ano. “As pessoas procuram formações mais curtas porque querem o resultado mais rápido dessa formação, querem se reposicionar no mercado ou desenvolver uma nova competência para potencializar a carreira”, comenta. A instituição também oferece a pós-graduação em outras modalidades, como presencial e online/ao vivo. Ao todo, a IES conta com pouco mais de 15 mil matrículas nos programas de pós, enquanto o modelo digital alcança, sozinho, significativos 9 mil alunos.

 

Leia: Os pilares de uma universidade inovadora

 

Com especialistas de peso no corpo docente, Martins aponta esse como um dos diferenciais da formação. “Proporcionar para os estudantes uma experiência com pessoas que são referência nacional e, muitas vezes, internacional, nos temas tratados. Temos, inclusive, uma equipe específica para fazer essa busca. Quando desenhamos um curso, sabemos a área em que queremos atuar e as competências que queremos desenvolver. A partir daí, essa equipe inicia uma busca de quem são as referências no Brasil e fora dele nesses temas”, explica.

Além do time de especialistas que podem trazer as informações mais atualizadas do mercado, o corpo docente também conta com professores internos da IES. “Toda disciplina tem um nome notável e um professor que costura tudo. A atuação desses docentes é fundamental para garantir que o projeto pedagógico tenha uma lógica e entregue competências bem amarradas, pois se a responsabilidade ficasse na mão de pessoas de fora, não teríamos condições de harmonizar as coisas.”

 

Captação de alunos

O painel Estratégias inteligentes de atração e captação de alunos, comando por Rodrigo Bouyer,  da Somos Young, compartilhará “os bons resultados” das estratégias adotadas pela edtech na captação de estudantes.

Rodrigo Bouyer

Rodrigo Bouyer, da Somos Young (foto: arquivo pessoal)

“Nosso case para este ano é o da Universidade FUMEC de Minas Gerais. Trata-se de uma IES que trouxe boas práticas para dentro e há dois anos consecutivos tem apresentado um crescimento de dois dígitos em ensino presencial de alta qualidade.”

Bouyer indica que há três pilares que hoje são responsáveis pelo impulsionamento dos resultados de captação. O primeiro é representado pelas decisões institucionais. “É o fator de inteligência de mercado. Entendemos a praça que a IES está e, a partir do cenário regional em que ela se encontra, pensamos em produtos, estratégias, processos, precificação e outras formas de atrair alunos que hoje preferem o concorrente.”

O segundo pilar está voltado para tecnologia e performance. “Não adianta apenas trazer o aluno para fazer o processo seletivo, é preciso que ele conclua o processo e se matricule. Sem uma capacidade de se relacionar bem com o estudante, dificilmente a IES ganhará da concorrencia”, pontua. “Em um mercado competitivo como é o nosso, isso é um desperdício do potencial porque a instituição investiu em propaganda mas não conseguiu converter em alunos.”

“O terceiro pilar que tem dado muito resultado é o uso da Inteligência Artificial porque ela é mais ágil e mais adaptada às necessidades que o estudante apresenta. Por si só, a IA é capaz de fazer um volume de 30% a 40% maior de matrículas.”

 

Programe-se

A terceira edição do Meeting Educacional acontece no dia 17 de julho no Hotel Mercure, em Salvador. Os ingressos para o encontro podem ser adquiridos no site. Veja a programação completa e garanta a sua vaga: meetingeducacionalbahia.com.br

Autor

Ensino Superior


Leia Gestão

Como diminuir a competição entre professores

Como desenvolver docência apoiadora e diminuir a competição

+ Mais Informações
A Teoria da Prática em gestão universitária

A Teoria da Prática em gestão universitária

+ Mais Informações
judicialização

Gestão deve ser atuante e ter olhar jurídico

+ Mais Informações
Comunidades de aprendizagem

O papel das comunidades de aprendizagem na transformação do ensino...

+ Mais Informações

Mapa do Site