Prêmio oferece R$20 mil para professores com projetos de impacto na formação docente

Realizado pela Fundação Carlos Chagas, a iniciativa busca valorizar práticas didáticas que aproximem os futuros professores do ambiente escolar

SHARE
, / 4

Voltado à valorização e divulgação de experiências positivas de docentes que dão aula em cursos de Licenciatura, o Prêmio Professor Rubens Murillo Marques, da Fundação Carlos Chagas (FCC), recebe inscrições até 29 de julho.

A iniciativa destaca práticas didáticas que contribuam com a aprendizagem da docência e aproximem os futuros professores do ambiente escolar, uma vez esse fator ainda é um dos principais desafios dos cursos de formação.

Leia também:

Mais da metade dos professores acreditam que poucos alunos chegarão ao ensino superior

Nesta 9ª edição, podem concorrer projetos desenvolvidos e concluídos em 2018 e 2017. Três premiados receberão R$20 mil e um troféu réplica de uma arte de Vera Lucia Richter. Vencedores de outras edições não podem participar.

A seleção será feita por especialistas na área de formação docente do projeto inscrito. Vale lembrar que o Prêmio Professor Rubens Murillo Marques é o único no Brasil voltado à área.

As edições anteriores receberam mais de 470 trabalhos e reconheceram 24 docentes de instituições públicas e privadas de 11 estados brasileiros. “Os premiados tiveram a oportunidade de registrar e compartilhar suas vivências, potencializando o sentimento de que há caminhos possíveis e alternativas diversas no contexto da formação inicial de professores”, revela Patrícia Albieri de Almeida, pesquisadora da FCC e uma das coordenadoras do Prêmio.

Alternativas para as dificuldades

Os problemas na formação inicial de professores são muitos. De acordo com um estudo realizado pela FCC e Unesco, os cursos de Pedagogia e Licenciaturas sofrem com altas taxas de evasão e baixa atratividade. A carreira docente também não é valorizada no Brasil, como mostrou a pesquisa global da Varkey Foundation.

Apesar disso, muitos professores se dedicam à melhoria da formação docente, como é o caso de Thaís Lobosque Aquino, uma das premiadas da 8ª edição pelo seu projeto Música, estágio e pesquisa: ações formativas com o tema mulheres na música.

“Como professora de uma universidade do interior do Brasil, fiquei muito feliz com o reconhecimento. Talvez a nossa luta esteja nessa direção agora: trazer à tona essas vozes que seguem silenciadas por alguma ou diversas razões”, afirma a docente, que atua na Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG).  

A Ensino Superior conversou com as vencedoras do ano passado. Leia mais em:

Melhores práticas de formação docente: conheça o bem-sucedido projeto do Instituto de Matemática da USP

Melhores práticas de formação docente: projeto da Universidade Federal de Uberlândia estimula empatia entre futuros professores

Melhores práticas de formação docente: projeto da UFG leva Rita Lee, Nannerl Mozart e Chiquinha Gonzaga para a sala de aula

prêmio professores Fundação Carlos Chagas
Foto: Shutterstock

Leia também:

Falta avaliação com qualidade no ensino superior

380 mil professores conduzem o ensino superior brasileiro

Artigos relacionados

Comentários

comentários

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN