Novas diretrizes: as competências que todos os professores devem ter

Conheça as competências gerais e específicas que compõem parte das mudanças que afetam os cursos de Pedagogia e Licenciatura

SHARE
, / 5

A Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação) lista as competências mínimas esperadas de cada formando ao final do seu curso. “Essa é uma medida já adotada por outros países e que é muito importante porque dá clareza ao papel formador das universidades e aponta o que elas têm que fazer”, avalia Ivan Gontijo Akerman, coordenador de projetos do Todos Pela Educação. Em sua opinião, o quadro de competências representa a mais interessante contribuição do documento.

Leia: As novas diretrizes para a formação de professores

formação dos professores
Foto: Freepik

Competências gerais dos docentes:

1 Compreender e utilizar os conhecimentos historicamente construídos para poder ensinar a realidade com engajamento na aprendizagem do estudante e na sua própria aprendizagem, colaborando para a construção de uma sociedade livre, justa, democrática e inclusiva.

2 Pesquisar, investigar, refletir, realizar a análise crítica, usar a criatividade e buscar soluções tecnológicas para selecionar, organizar e planejar práticas pedagógicas desafiadoras, coerentes e significativas.

3 Valorizar e incentivar as diversas manifestações artísticas e culturais, tanto locais quanto mundiais, e a participação em práticas diversificadas da produção artístico-cultural para que o estudante possa ampliar seu repertório cultural.

4 Utilizar diferentes linguagens (verbal, corporal, visual, sonora e digital) para se expressar e fazer com que o estudante amplie seu modelo de expressão ao partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos, produzindo sentidos que levem ao entendimento mútuo.

5 Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas docentes, como recurso pedagógico e como ferramenta de formação, para comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e potencializar as aprendizagens.

6 Valorizar a formação permanente para o exercício profissional, buscar atualização na sua área e afins, apropriar-se de novos conhecimentos e experiências que lhe possibilitem aperfeiçoamento profissional e eficácia e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania, ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

7 Desenvolver argumentos com base em fatos, dados e informações científicas para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns, que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental, o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

Leia: Movimento pede a descolonização dos currículos

8 Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana, reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas, desenvolver o autoconhecimento e o autocuidado nos estudantes.

9 Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação,
fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza, para promover ambiente colaborativo nos locais de aprendizagem.

10 Agir e incentivar, pessoal e coletivamente, com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência, a abertura a diferentes opiniões e concepções pedagógicas, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários, para que o ambiente de aprendizagem possa refletir esses valores.

Leia: Diminuição das mensalidades pode afetar professores e até quebrar instituições de ensino superior

Competências específicas:

1 Conhecimento profissional: dominar os objetos de conhecimento
 e saber como ensiná-los; demonstrar conhecimento sobre os
estudantes e como eles aprendem; reconhecer os contextos;
conhecer a estrutura e a governança dos sistemas educacionais.

2 Prática profissional: planejar as ações de ensino que resultem em efetivas aprendizagens; criar e saber gerir ambientes de aprendizagem; avaliar o desenvolvimento do educando, a aprendizagem e o ensino; conduzir as práticas pedagógicas dos objetos conhecimento, competências e habilidades.

3 Engajamento profissional: comprometer-se com o próprio desenvolvimento profissional; comprometer-se com a aprendizagem dos estudantes e colocar em prática o princípio de que todos são capazes de aprender; participar do Projeto Pedagógico da escola e da construção dos valores democráticos; engajar-se, profissionalmente, com as famílias e com a comunidade.

Leia também:

José Pacheco: Enem não avalia qualidade da escola, apenas a capacidade de memorização do aluno

Melhores práticas de formação docente: projeto da Universidade Federal de Uberlândia estimula empatia entre futuros professores

Artigos relacionados

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN