RFM Editores


Na Unesco: “Professor deve cuidar também da educação emocional”

Começa a 3ª Conferência Mundial do Ensino Superior da Unesco, em Barcelona


Por Luciana Alvarez, de Barcelona – “A missão do educador é iluminar não só o cérebro, mas também o coração”, defende Cristina Gutierrez, do projeto espanhol La Granja, que trabalha com a educação emocional para todas as idades. “O que deixamos para os outros é como fizemos que eles se sentissem. Com nossas palavras podemos humilhar ou dignificar os estudantes”, disse em uma apresentação no primeiro dia da Conferência de Educação Superior da Unesco 2022 (WHEC), na sigla em inglês. 

Leia: Saiba como acompanhar a 3ª Conferência Mundial do Ensino Superior da UNESCO

Segundo ela, só com palavras encorajadoras e confiança se pode construir uma educação que de fato, em que as crianças e jovens se desenvolvem plenamente, algo que vai muito além de sair-se bem em exames.

“A educação emocional é para a vida, para fazer com que as emoções sejam amigas, colaborem no caminho que cada um escolher”, diz.  

Os educadores têm a responsabilidade também de permitir que os alunos iluminem o mundo com suas emoções positivas. “As crianças e os jovens são os grandes geradores de alegria do mundo; não devemos tirar a alegria deles com nossas amarguras”, afirma. Ela, contudo, ressalta que alegria não é o mesmo que felicidade; esta deve ser construída dentro de cada um, com o tempo e propósito. 

Leia também

Universidade católica é referência global em energia limpa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 − 3 =