Atividade multidisciplinar da Unisinos ajuda microempreendedores a sobreviverem durante a crise

Durante o isolamento, educadores criaram um projeto em que graduandos e pós-graduandos desenvolvem habilidades e fortalecem o networking ao apoiarem pequenos empreendedores

SHARE
, / 2

No início da pandemia, educadores do curso de Administração da Unisinos, começaram a questionar como poderiam gerar impacto positivo para a sociedade. “A contribuição dos profissionais da área da saúde é muito mais clara. Só que da nossa forma, também quisemos auxiliar”, conta Bruno Bittencourt, coordenador do curso Gestão para Inovação e Liderança e responsável pelo Projeto Pequenos Negócios, em que alunos prestam desde março mentoria digital, personalizada e gratuita a microempreendedores.

Leia: Universidades precisam se reinventar e buscar inovações disruptivas

microempreendedores atividade multidisciplinar
Bruno Bittencourt é coordenador do curso GIL (foto: divulgação)

O projeto envolve graduandos em Gestão para Inovação e Liderança (GIL) e mestrandos e doutorandos de quatro cursos: Administração, Gestão de Negócios, Ciências Contábeis e Economia, além de professores. “Não faz parte de uma disciplina. É voluntário e estudantes de pós e mestrado — em que muitos querem seguir a carreira docente — auxiliam os graduandos. Mas acontece de algum aluno levar um caso, por exemplo, fluxo de caixa, para uma aula”, explica o coordenador.

Na percepção de Bruno Bittencourt, por conta de os grupos de trabalhos serem multidisciplinar, os estudantes saem ganhando ao desenvolverem competências como empatia e colaboração, além de networking. “Alunos já tiveram proposta de estagiar, fazer algum serviço para a empresa”, diz. Outro ponto positivo é que o Projeto Pequenos Negócios engloba estudantes de diversos semestres das duas unidades da Unisinos, em São Leopoldo e Porto Alegre, aumentando a rede de relacionamentos dos universitários.

Leia: Professoras criam startup para inserir profissionais da educação no mercado de trabalho

O processo

A primeira fase atendeu 67 microempreendedores e teve a adesão de 72 estudantes, já a segunda contou com 45 empresas e 80 alunos. Todos ganham certificado. A terceira entra em agosto — a ideia é continuar mesmo após a pandemia. Os microempreendedores preenchem um formulário digital e após a seleção, recebem quatro encontros online em que os alunos identificam o problema do pequeno empreendedor e constroem uma solução e execução em torno de três áreas: inovação, marketing e finanças.

Uma microempresa de bronzeamento artificial foi uma das beneficiadas e teve que repensar a forma de se comunicar para chegar ao seu público. O Rapporter Brechó também foi outro que recebeu mentoria, e teve como foco uma higienização segura das peças e em um atendimento online a seus clientes.

“A gente consegue perceber que os alunos têm um aprendizado prático. Os vemos desenvolvendo algumas competências e as colocando em prática na sala de aula”, finaliza Bruno.

Leia também:

Mulheres cientistas narram os desafios que já enfrentaram na área

Durante o isolamento, PUC-PR dá apoio psicológico a seus colaboradores

Artigos relacionados

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN