Colunista

Cooperação marca a criação da N Cursos

Facens e Newton Paiva unem suas potencialidades para lançar a N Cursos, plataforma de cursos de extensão com mais de 90 títulos

cooperação Imagem: reprodução
cooperação
Existe uma complementariedade muito grande entre as ações das duas instituições que fez com que elas se aproximassem (Foto: Pexels)

Um fica em Sorocaba, no interior de São Paulo e o outro em Belo Horizonte, Minas Gerais. Não tão distantes assim, os centros universitários Newton Paiva e Facens têm perfis diferentes, cada um com foco de ensino em áreas do conhecimento diferentes do outro. Aproveitando-se disso, as instituições enxergaram na cultura de cooperação uma oportunidade de se complementarem e unirem suas potencialidades na N Cursos.

Leia: Fael otimiza processo de matrículas e reduz tráfego telefônico com uso de inteligência artificial

Facens e Newton Paiva são parceiras sinérgicas há muito tempo, segundo o reitor da Facens, Fabiano Marques. “A Facens é muito forte em engenharia e na modalidade presencial, enquanto a Newton Paiva é forte na área da saúde e no assíncrono, então são complementariedades que sempre despertaram o interesse nessa parceria”, explica.

Quando a plataforma foi pensada, as instituições já possuíam uma gama de cursos prontos, inclusive para a modalidade presencial e síncrona, que eles adaptaram e embutiram na plataforma. Claro que também foram criados novos cursos com foco coorporativo, a fim de ampliar as possibilidades no currículo dos alunos e atender às demandas de mercado.

Interesse em ampliar a rede de cooperação

“A composição de uma rede de cooperação é muito benéfica no sentido da troca de experiências e também pela possibilidade das IES que a compõem terem benefícios em comum em torno de uma causa única. Para mim é um conceito que veio para ficar”, declara o reitor, acrescentando que a rentabilidade não se resume só ao fator financeiro e que os ganhos podem ser observados de diferentes aspectos. “Claro que há uma conversa nesse sentido [financeiro] e cada uma também é responsável por gerir os cursos que são originários de sua instituição”, conta.

Marques diz ainda que a plataforma está aberta para incluir e trabalhar com outros parceiros: “nada impede a gente de se unir e beneficiarmos todos com interesses em comum”, tal como uma rede de cooperação deve operar.

Leia também:

A importância de uma plataforma de gestão de ensino para a área da saúde

4 usos do teste de proficiência em inglês para internacionalização do ensino superior

Por: | 05/07/2021


Leia mais

Miopia conceitual

Morreu de que? De miopia

+ Mais Informações
Google Search

Google Search aposta em IA e levanta debates sobre o futuro da informação

+ Mais Informações
Docência no divã

Como trabalhar a resistência docente diante do novo?

+ Mais Informações
Bullying

Bullying entre estudantes na universidade

+ Mais Informações

Mapa do Site