Inovação

Colunista

Ana Valéria Reis

Consultora em inovação, aprendizagem, metodologias ativas e avaliação

Gestão e docência ativa na educação superior

Gestão desempenha um papel fundamental na criação de um ambiente favorável à docência ativa

Docência ativa Gestores devem considerar aspecto emocional dos professores e dos estudantes ao implementar a docência ativa (foto: Pexels)

Impulsionada pelas demandas de maior engajamento dos alunos e pelo avanço tecnológico, a educação superior passa por uma transformação significativa. Nesse contexto, a gestão precisa dedicar especial atenção à implementação e monitoramento de uma docência ativa e eficaz que promova a participação também ativa dos estudantes no processo de ensino-aprendizagem, com o aproveitamento dos recursos tecnológicos disponíveis. Este artigo explorará algumas estratégias pedagógicas, tipos de avaliação, recursos tecnológicos e gestão institucional necessários para promover a docência ativa em instituições de ensino superior.

 

Desenvolvimento de estratégias pedagógicas e tecnológicas para a docência ativa

 

A gestão desempenha um papel fundamental na criação de um ambiente favorável à docência ativa. Estratégias pedagógicas devem ser desenvolvidas para envolver os alunos no processo de aprendizado. Isso inclui a promoção de métodos de ensino interativos com suporte à capacitação docente e envolve a criação de uma estrutura organizacional que apoie a implementação e manutenção de práticas pedagógicas ativas, o que também inclui a identificação e o fornecimento de ferramentas e tecnologias educacionais adequadas. A brecha tecnológica entre alunos e professores deve ser considerada, e a instituição deve investir em tecnologia e na capacitação docente para maximizar o uso eficaz dessas ferramentas.

 

Mas, de que se trata a docência ativa?

 

O conceito de docência ativa refere-se a uma abordagem pedagógica em que os professores desempenham um papel ativo na promoção do aprendizado dos alunos, incentivando a participação e o envolvimento dos estudantes no processo educacional. Essa abordagem contrasta com a tradicional “aula expositiva” em que os professores predominantemente transmitem informações aos alunos de forma passiva.

A docência ativa envolve estratégias de ensino que estimulam os alunos a assumirem um papel mais empreendedor em sua própria aprendizagem. Isso pode incluir atividades como discussões em grupo, resolução de problemas, projetos práticos, debates, trabalho em equipe, aprendizado baseado em problemas, design thinking, entre outros métodos que incentivam a reflexão, a aplicação prática do conhecimento e a colaboração.

A ideia subjacente à docência ativa é a de que os estudantes aprendem melhor quando estão envolvidos em atividades significativas e desafiadoras, em vez de serem apenas receptores passivos de informações. Portanto, os professores que adotam a docência ativa desempenham o papel de facilitadores do aprendizado, criando ambientes de sala de aula que promovem a participação ativa, o pensamento crítico e a resolução de problemas por parte dos alunos. Essa abordagem também está relacionada ao uso de tecnologia educacional e recursos digitais para apoiar e ampliar as oportunidades de aprendizado ativo, criando ambientes virtuais interativos e estimulantes.

A docência ativa, o uso de metodologias ativas e processos avaliativos formativos estão interligados de forma intrínseca. Eles formam uma abordagem holística para o ensino e a aprendizagem que se baseia na ideia de que os alunos aprendem melhor quando estão ativamente envolvidos em seu processo educacional. Promovem o engajamento dos estudantes e motivam sua participação tanto nas aulas presenciais, quanto nas aulas virtuais, proporcionam oportunidades para os estudantes aplicarem o conhecimento, resolverem problemas do mundo real e colaborarem com seus colegas.

 

Processos avaliativos formativos

 

Os processos avaliativos formativos estão intimamente ligados à docência ativa e às metodologias ativas. Eles se concentram em avaliar o progresso dos estudantes durante as aulas, com o fornecimento contínuo de feedbacks.

As avaliações formativas são frequentemente incorporadas às atividades da sala de aula, em que os estudantes demonstram seu entendimento e apreensão do conhecimento. Os professores usam essas avaliações para identificar áreas que precisam de aprimoramento e ajustar seu ensino de acordo com o progresso de seus estudantes.  Ao trabalharem em um projeto em grupo, por exemplo, os professores podem observar o progresso dos alunos, fornecer feedback e ajustar  o ensino com base no desempenho deles. O método promove um ambiente de sala de aula em que os alunos se sentem à vontade para participar ativamente das atividades de aprendizado. Isso, por sua vez, facilita a coleta de dados para a avaliação formativa.

A avaliação deve estar alinhada com os objetivos de aprendizado, bem como com os resultados esperados, para garantir eficiência no envolvimento dos estudantes. A gestão deve promover a implementação de avaliações formativas no seu currículo que permitam acompanhar o progresso dos seus estudantes. Além disso, é importante considerar a avaliação diagnóstica para identificar suas necessidades no início do curso. Dssa forma, a avaliação formativa apoiará o desenvolvimento contínuo de suas competências.

 

Leia também: IA na educação ressignifica a aprendizagem crítica

 

O uso de tecnologia educacional pode ser uma ferramenta valiosa na implementação de metodologias ativas e na coleta de dados para avaliação formativa. Ao fornecer informações em tempo real sobre o desempenho dos alunos, plataformas online permitem intervenções oportunas.

Docência ativa, uso de metodologias ativas e processos avaliativos formativos formam um ciclo contínuo e interligado que visa melhorar a qualidade da educação, pois promove o envolvimento dos estudantes e a melhoria constante do ensino com base no feedback contínuo. Essa abordagem ajuda-os a desenvolver habilidades críticas, pensamento independente e um entendimento profundo dos tópicos de estudo.

 

Gestão das emoções na docência ativa

 

Um ponto importante que os gestores devem considerar é o aspecto emocional dos professores e dos estudantes ao implementar e monitorar a docência ativa. É importante fornecer apoio e treinamento para lidar com desafios emocionais. Desenvolver habilidades e competências cognitivas e socioemocionais implica contar com um comportamento empático, inclusivo, colaborativo, cooperativo, respeitoso, comunicativo que muitas vezes não é evidente ou fácil em algumas pessoas. Suas experiências particulares e pessoais impactam nas atitudes de ambos os lados, docentes e discentes. Há também a resistência, no caso dos docentes, à adoção de tecnologias emergentes, como a Inteligência Artificial, por exemplo, que deve ser abordada com empatia e capacitação.

Enfim, a docência ativa coloca os estudantes no centro do processo de aprendizado, encorajando-os para a autonomia, para a construção de conhecimentos e para o desenvolvimento de habilidades práticas, além de promover uma aprendizagem mais significativa e duradoura. A instituição deve desenvolver documentos, processos e normas que respaldem a docência ativa, bem como estabelecer incentivos e recompensas para os professores envolvidos nesse processo.

Retomar esse assunto me parece relevante, uma vez que debates sobre o tema do engajamento e retenção dos estudantes apontam os professores às vezes como o problema, mas também como a solução dele.

A gestão eficaz na educação superior desempenha um papel vital na promoção da docência ativa, o que envolve o desenvolvimento de estratégias pedagógicas, a implementação de recursos tecnológicos, o apoio às emoções dos professores e alunos e a criação de uma cultura de inovação. A docência ativa não é apenas uma abordagem pedagógica, mas uma mudança cultural que requer liderança e comprometimento institucional.

 

Escute o podcast: IES precisam se preparar para atender demandas corporativas

 

Como especialista em capacitação docente, sugiro que os gestores possam monitorar as ações da docência ativa de várias maneiras para garantir sua eficácia e promover melhorias contínuas:

  • Com o apoio de seu núcleo pedagógico, realizar acompanhamento regular das aulas para avaliar como os professores estão implementando as estratégias de docência ativa. Isso pode envolver a criação de uma lista de verificação ou um roteiro de indicadores e observação para avaliar a participação dos alunos, o uso de metodologias ativas e a interação em sala de aula.
  • Incluir critérios relacionados à docência ativa nas avaliações de desempenho docente. Isso pode incentivar os professores a se engajarem mais ativamente em práticas de ensino inovadoras.
  • Coletar feedback dos alunos por meio de pesquisas de avaliação de cursos. Perguntar aos alunos sobre sua percepção da docência ativa, o impacto em seu aprendizado e quais melhorias eles sugeririam.
  • Revisar os materiais didáticos usados pelos professores para garantir que estejam alinhados com as abordagens da docência ativa. Isso pode incluir a revisão de planos de aula, recursos on-line, tecnologias e atividades práticas.
  • Analisar os resultados de aprendizagem dos alunos, como notas, desempenho em testes e projetos, e resultados da formação contínua para determinar se as estratégias de docência ativa estão tendo um impacto positivo no aprendizado.
  • Promover grupos de discussão e workshops regulares nos quais os professores compartilham suas experiências com a docência ativa e discutem desafios e sucessos. Isso permite que os gestores obtenham informações diretas dos envolvidos.
  • Se a docência ativa envolve o uso de tecnologia educacional, os gestores podem analisar dados gerados por essas ferramentas para avaliar o envolvimento dos alunos e o uso eficaz da tecnologia.
  • Manter linhas de comunicação abertas com os professores para que eles possam relatar quaisquer desafios ou necessidades relacionadas à docência ativa. Os gestores devem estar disponíveis para oferecer suporte e recursos quando necessário.
  • Promover a colaboração entre os professores de diferentes disciplinas para compartilhar boas práticas e lições aprendidas na implementação da docência ativa: colaboração interdisciplinar.
  • Verificar se as práticas de docência ativa estão alinhadas com os objetivos institucionais e com as metas de ensino e aprendizagem estabelecidas no modelo acadêmico.
  • Oferecer oportunidades de formação continuada para professores interessados em aprimorar suas habilidades em docência ativa. Os gestores podem monitorar a participação e o progresso nesses programas de formação.

 

Ao adotar essas estratégias de monitoramento, os gestores podem avaliar de forma abrangente a implementação da docência ativa, identificar áreas que precisam de melhorias e fornecer o suporte necessário para que essa abordagem seja bem-sucedida. O monitoramento contínuo é fundamental para garantir que a docência ativa seja eficaz e atenda aos objetivos institucionais e às necessidades dos alunos.

Por: Ana Valéria Reis | 17/10/2023


Leia mais

Metodologias ativas

Como tornar as metodologias ativas eficazes para jovens e adultos

+ Mais Informações
Mercado

O guia definitivo de verdades inconvenientes

+ Mais Informações
Pensamento antecipatório

Reimaginando a educação superior com pensamento antecipatório

+ Mais Informações
Currículo oculto

A importância de lançar luzes sobre o currículo oculto

+ Mais Informações

Mapa do Site