Estudar a vida toda cria mercado

Os desafios e transformações que as instituições de ensino devem passar são destaques desta conversa com o vice-reitor da PUC-PR

SHARE
, / 0

O vice-reitor da PUC-PR, Vidal Martins, acredita que o Brasil vai entrar na era do life long learning, no caso, a aprendizagem por toda a vida. “Mesmo as profissões estruturantes (Direito, Medicina e Engenharia) sofrerão adaptações do conteúdo, com a mudança da sociedade”, declarou em entrevista à plataforma Ensino Superior, que promove uma pesquisa entre gestores das instituições. Segundo ele, todo mundo vai ter que passar por períodos em contato com essas atualizações.

Leia: Com a pandemia, vão sobrar prédios de faculdades

Há 21 anos na PUC-PR, Vidal Martins acha que o risco para as instituições de ensino superior está numa coisa: velocidade. “Se tiver novos entrantes mais rápidos, as mais tradicionais correm sério risco de continuidade, ou perda de relevância. Mas a necessidade de atualização permanente por parte dos profissionais já formados abre novos mercados”.

Sobre as atividades práticas neste período de pandemia, Martins diz que há nuances que precisam ser notadas. “Não faz diferença para alguém que está criando um algoritmo, se isso é feito presencialmente ou remotamente. Tendo um bom computador, basta. Claro que a atividade de um dentista claramente necessita de realizar isso num campus”.

ensino superior e sociedade
Foto: Shutterstock

Leia também:

O futuro das instituições de ensino superior pequenas passa pela cooperação

Como desenvolver a criatividade e o pensamento crítico

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN