Como criar experiências de aprendizagem memoráveis

Com tantos recursos disponíveis, apenas a aula expositiva, tendo a memorização como único recurso, sobretudo em nosso momento histórico, não é possível

SHARE
,
Experiência de aprendizagem
Discute-se que, em breve, os algoritmos já serão capazes de fornecer aos estudantes não somente os conhecimentos que mais gostam, mas também o modo como preferem para aprender
(foto: divulgação/Imec)

Você já refletiu sobre as experiências de aprendizagem dos estudantes da sua IES?  Sim? Não?  O fato é que a experiência de aprendizagem do estudante desenvolve-se independentemente de como uma instituição implanta (ou não) ações específicas.  

Os estudantes sempre desenvolverão suas percepções a partir das interações estabelecidas, seja com os professores, objetos de aprendizagem, metodologias, recursos e sistemas disponíveis, com a finalidade de aprender algo, essa é a explicação.

Leia: Gestão pedagógica: IES que estão fazendo diferente

Pensar na experiência do estudante, implica em refletir sobre as modificações metodológicas, tecnológicas e sociais, materializadas em forma de soluções de aprendizagem e ofertadas com o intuito de modificar, ampliar e qualificar o momento de aprender de cada um.

Saiba que as IES à prova de futuro não só avaliam e inovam constantemente o percurso formativo, mas permanecem na busca pela promoção de uma experiência de aprendizagem realmente memorável.

Vale destacar que o termo memorável é oportuno nos contextos educativos, pois significa “inesquecível, digno de ser lembrado, relevante.

O esforço das IES em ofertar uma experiência de aprendizagem memorável ao estudante surge da necessidade de atender ao novo perfil comportamental, social e cognitivo. Com tantos recursos disponíveis, apenas a aula expositiva, tendo a memorização como único recurso, sobretudo em nosso momento histórico, não é possível.

Discute-se que, em breve, os algoritmos já serão capazes de fornecer aos estudantes não somente os conhecimentos que mais gostam, mas também o modo como preferem para aprender. E embora pareça muito agregador e motivador, temos de reconhecer que não é simples assim, afinal, se os estudantes se ativerem apenas aos conhecimentos e ao modo como preferem para aprender, podem limitar o próprio desenvolvimento cognitivo, relacional e emocional, que é especifico da finalidade educativa.

Existe um manual que ajude a desenhar uma experiência de aprendizagem memorável afinal? Infelizmente, não.  Com base na minha experiência descrevo os principais aspectos a serem considerados quando se quer ofertar uma experiência de aprendizagem realmente memorável:

1. Estabeleça vínculos

A aprendizagem perpassa pelo estabelecimento de vínculos, logo, as IES precisam planejar atividades que envolvam a criação e o fortalecimentos destas relações que permeiam os espaços educativos. Usar dinâmicas de ativação, desenvolver habilidades para o trabalho em grupo, criar comunidades de aprendizagem podem ser alternativas altamente eficazes no ponto de vista relacional e emocional.

2. Levante as hipóteses dos estudantes sobre o que sabem ou o que esperam aprender

Compreender o que cada estudante traz para aula, suas motivações e sua disposição para se engajar é fundamental no processo de aprendizagem, por isso, considere o conhecimento o prévio ou os graus de familiaridade que possuem em relação ao tema abordado. Lance questões iniciais, aplique uma autoavaliação rápida, promova uma mineração de conceitos. Além de demonstrar interesse sobre os alunos, esta abordagem é muito relevante pois promove o acionamento dos conhecimentos prévios a partir da provocação inicial, conecta com o tema e assim intensifica o aprendizado significativo dos estudantes.

3. Organize tarefas que tenham grau de incerteza

O comando da atividade não precisa ser confuso para ter um grau de incerteza. Na verdade, este elemento refere-se à preparação de atividades que exigem o esforço para compreender a tarefa antes mesmo do estudante escolher uma estratégia para encontrar a solução. Para gerarmos engajamento nos estudantes é preciso fazê-los sentir que os trabalhos realizados são desafiadores e com isso ampliarão o seu repertório de conhecimentos por meio do desenvolvimento de habilidades cognitivas de maior complexidade. Desafios imersivos, resolução de problemas reais, prototipagem, são exemplos de alternativas pedagógicas que possuem grau de incerteza.

4. Ofereça um amplo repertório de estratégias e recursos de aprendizagem

Para possibilitar conexões criativas e desenvolver um mindset inovador que qualifique a experiência do estudante, é preciso ocorrer por meio de novidades, variedades e qualidade dos processos sinápticos, por isso, além de compreender o motivo, significado e aplicabilidade das atividades pedagógicas, é preciso que isso seja feito por meio de diferente estratégias e recursos.

5. Trabalhe a educação digital

Investir no uso de tecnologias, criar espaços inteligentes, elaborar materiais digitais, fomentar o desenvolvimento de um mindset capaz de transformar ideias em realidade é possível por meio da educação digital.  Com a educação digital é possível alinhar o processo de ensino e aprendizagem com as novas mudanças provocadas pela era digital, oferecendo ferramentas, conhecimentos e novas oportunidades aos estudantes, no entanto, é mandatório que essas tecnologias e metodologias venham acompanhadas de práticas pedagógicas que possibilitam experiências alinhadas com as transformações que atendam os diferentes perfis profissiográficos.

6. Crie situações de interação e integração entre os pares

 A capacidade de se sentir aceito, ouvido e participante no grupo a partir das suas contribuições por meio da interação entre os pares é um indicador muito relevante quando se pretende qualificar a experiência do estudante e torná-la memorável. Forneça espaços nos quais os estudantes possam se relacionar com os professores e outros membros da instituição tanto no ambiente de sala de aula como fora dela.

7.  Conduza os estudantes a experimentarem o sucesso.

Experimentar o sucesso é o sentimento que se dá quando temos a certeza que o objetivo foi alcançado. Neste sentido, o sentimento de consolidação do processo de aprendizagem ocorre quando o estudante sente que aprendeu algo novo com a aula, curso ou programa. Reflexões sobre os resultados das avaliações, exercícios metacognitivos em relação ao desempenho, comemorações, apresentações, desafios com premiações e uma cultura de feedback podem ajudar os estudantes a analisarem o seu desempenho e estabelecerem estratégias para atingir os objetivos, ou seja, experimentarem o sucesso.

Desenhar uma experiência de aprendizagem memorável requer construir uma dinâmica que inclua as dimensões cognitiva, emocional e relacional do ser humano. Tal experiência materializa-se por meio de uma narrativa e de tarefas que fazem uso de competências, e se manifesta em evidências de aprendizagem sólidas, e por isso cuidar da experiência dos estudantes e potencializar ao máximo as suas possibilidades de aprendizagem deve ser o principal foco do trabalho das IES.

Thuinie Daros é cofundadora, consultora e palestrante na Téssera Educação e head de cursos híbridos e metodologias ativas na Unicesumar. Colabora em coluna mensal na Plataforma Ensino Superior

Leia também:

“Storytelling garante engajamento dos estudantes”, diz Tas

O lugar do lúdico no ensino superior

Autor
Thuínie é co-fundadora, consultora e palestrante na Téssera Educação e head de cursos híbridos e metodologias ativas na Unicesumar. Escreve mensalmente em sua coluna para Plataforma Ensino Superior.

Artigos relacionados

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN