Times Higher Education 2021: Brasil lidera ranking com 67 IES

Revista inglesa lista as melhores universidades da América Latina e do Caribe há cinco anos. Das 177 IES presentes no ranking regional, 67 são brasileiras e 16 delas são particulares, mas ainda há muito o que melhorar

SHARE
,
Times Higher Education
Arte: divulgação

Embora a região tenha obtido ganhos em quantidade e qualidade de pesquisa, de acordo com uma análise dos dados de classificação do Times Higher Education (THE), a reputação das universidades da América Latina entre a comunidade acadêmica global tem diminuído nos últimos anos.

Latin America University Rankings 2021 é liderado pela PUC Chile pelo terceiro ano consecutivo, enquanto a USP e a Unicamp mais uma vez completam as três primeiras.

Leia: Universidade de Coimbra contra a fome

Das IES particulares, a PUC é que mais aparece, representada pelos estados de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. Outras instituições como o Mackenzie, Uninove, Unisinos, UniFor, UniChristus e a Universidade Vila Velha, também aparecem no ranking da Times Higher Education.

Quando o Ranking de Universidades da América Latina foi lançado, há cinco anos, apenas 50 instituições faziam parte da lista. Este ano, esse número mais do que triplicou para 177. A expansão do ranking é uma prova tanto do aprimoramento das universidades na região da América Latina e do Caribe quanto do desejo crescente das instituições de monitorar e comparar seu desempenho com seus pares locais e globais.

Mas, embora o topo da classificação pareça muito estável, a análise dos dados subjacentes revela as áreas em que as universidades da região estão melhorando e se deteriorando em comparação com seus pares no resto do mundo.

Pontos positivos, porém, há muito o que melhorar

No geral, as universidades da América Latina estão melhorando a um ritmo mais rápido do que a média global. A pontuação média das universidades da região no THE World University Rankings aumentou de 19,9 para 23,0 pontos entre 2018 e 2021, um aumento de 16%, enquanto a pontuação média das universidades fora da região aumentou de 37,1 para 39,7 pontos, um aumento de 7%.

O progresso das instituições latino-americanas é amplamente impulsionado por um aumento significativo em suas pontuações médias para publicações de pesquisa por equipe e impacto de citação ponderado em campo. As universidades da região também têm melhorado mais rapidamente em outras áreas, talvez mais surpreendentes, como a receita da indústria por acadêmico e a parcela de estudantes internacionais.

No entanto, também existem várias áreas em que as universidades latino-americanas não apenas ficam para trás em relação ao resto do mundo, mas estão em declínio: incluem renda institucional, reputação de pesquisa e reputação de ensino.

Isso diferencia as instituições latino-americanas das universidades de países em desenvolvimento de maneira mais ampla, onde o aumento do prestígio tem sido um fator-chave para sua melhoria geral nos últimos anos. O Latin America University Rankings 2021 inclui 177 instituições de 13 países. O Brasil é a nação mais representada, com 67 universidades.

Com informações de Ellie Bothwell, repórter e editora de classificação global da Times Higher Education

Leia também:

A IES que pautou o mercado nacional

Trevisan vira 100% digital e pode indicar caminhos

Artigos relacionados

<

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN