NOTÍCIA

Gestão

Como a pandemia tem afetado a educação superior na Índia

Secretária-geral da Associação das Universidades Indianas, Pankaj Mittal, falou sobre como o país tem enfrentado os desafios da educação frente à pandemia em terceiro episódio de série promovida pelo Semesp

Publicado em 11/05/2021

por Redação Ensino Superior

Índia - Pankaj Mittal

A Índia passa por uma situação similar ao Brasil. País de grandes dimensões com uma das maiores populações do mundo, atualmente enfrenta um recrudescimento da pandemia da covid-19, com um aumento das mortes pela doença e caos no sistema de saúde. Sendo assim, a Índia foi o foco do terceiro episódio da série Cenário do Ensino Superior no Mundo Atual, nesta terça, 11, organizado pelo Semesp.

A secretária-geral da Associação das Universidades Indianas, Pankaj Mittal contou durante o episódio como a pandemia tem afetado a educação superior. Ela começou explicando como funciona o sistema educacional do país, dividido em universidades que emitem diplomas, e faculdades que não emitem diploma. Segundo ela, a Índia tem cerca 1.000 universidades e mais de 40 mil faculdades, com 37 milhões de alunos, 46 mil estudantes internacionais e 1 milhão de estudantes indianos que saíram do país para estudar fora.

Reformulação da educação na Índia

Estudante indiano. Foto: Diana Grytsku

“Um dos primeiros impactos da pandemia na Índia foi a reformulação de nossa política nacional de educação, que passou pela sua primeira atualização em 34 anos”, disse Pankaj Mittal, lembrando que as IES começaram a fechar em março de 2020. “Na Índia, a educação online não era muito comum até o ano passado. Muitas IES não tinham uma infraestrutura estabelecida para aulas remotas, sendo que muitos professores nunca tinham dado uma aula online antes”, afirmou.

Leia: Aprendizagem baseada em projetos: o aluno no centro da abordagem

De acordo com a secretária, outro problema que o país tem enfrentado é a grande desigualdade social, vista do contexto em que IES e estudantes não possuem as ferramentas e conectividade necessárias para possibilitar o ensino remoto. “Uma medida drástica foi aumentar a infraestutura das IES, oferecendo laptops para alunos e professores poderem acompanhar as aulas remotamente.”

Além do incremento da infraestrutura, a Índia ofereceu vários treinamentos para os professores se adaptarem ao novo modelo e consultorias para os estudantes, principalmente para ajudá-los em questões relacionadas à saúde mental.

Desafios do país frente à pandemia

Em relação à segunda onda da pandemia da covid-19 que o país vem enfrentando, Mittal explicou que a situação é crítica, com um desafio logístico de vacinar mais de 1 bilhão de pessoas. Por conta disso, todas as IES tiverem que fechar novamente, voltando a adotar o ensino totalmente remoto.

“Nenhuma atividade, mesmo as práticas, estão sendo realizadas presencialmente, tudo está sendo adiado e não sabemos o que vai acontecer. Nesse momento, as IES permanecerão fechadas e o presencial é impossível”, lamentou, explicando que algumas atividades práticas estão sendo feitas por meio de ferramentas de simulação em laboratórios virtuais.

Depois de Estados Unidos e Brasil, a série Cenário do Ensino Superior no Mundo Atual encerra com um episódio sobre a Europa na próxima terça, 18, às 9h. As inscrições podem ser feitas por meio do site do Semesp.

Fonte: Semesp

Leia também:

Para sobreviver com qualidade, faculdades precisam consolidar cultura empreendedora. Como fazer isso?

Aos 81 anos, aluno inicia sua quarta graduação

Autor

Redação Ensino Superior


Leia Gestão

Universidade inovadora

Os pilares de uma universidade inovadora

+ Mais Informações
UC Semesp

Uma década de conhecimentos para enfrentar desafios

+ Mais Informações
Camila Campos

Mentalidade de crescimento é base para a inovação

+ Mais Informações
Formação de professores EAD

Setor reage às novas diretrizes para a formação de professores

+ Mais Informações

Mapa do Site