Brasil é o que mais desacredita nas habilidades de seus profissionais

94% acham que as habilidades dos trabalhadores brasileiros não são suficientemente qualificadas para o mercado em constante evolução, aponta pesquisa da Udemy

SHARE
,

Brasil é o país que mais acredita que existe uma lacuna de habilidades no seu mercado de trabalho, 94%, ou seja, que as habilidades dos seus trabalhadores não são suficientes para acompanhar o mercado. A média global é de 83%. Os dados fazem parte do Relatório global lacuna de habilidades 2019/2020, da Udemy.

Quando perguntados se eles se sentem diretamente afetados por essa lacuna, os brasileiros também estão entre os profissionais que mais creem que sim, 75%, porcentagem menor apenas que a da Índia, de 76%.  Os mexicanos também tiveram taxa alta, de 68%.

Leia: Aos 81 anos, aluno inicia sua quarta graduação

habilidades profissionais
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

Inteligência artificial e automação

A pesquisa também perguntou aos profissionais se eles acreditam que a inteligência artificial e a automação serão capazes de fazer os seus trabalhos dentro dos próximos cinco anos. No Brasil, a maior parte dos profissionais, 56%, disse que sim. Na Índia, essa porcentagem foi de 76%. E no México, de 47%.

Europeus apresentaram as menores porcentagens – Espanha com 42% e França com 44%. “É possível que isso tenha a ver com a natureza dos empregos nesses países”, diz Raphael Spinelli, gerente da Udemy para a América Latina. “Nos países com mais profissionais em cargos operacionais, faz sentido que esses profissionais se preocupem mais em perder os seus empregos para a automação, por exemplo.”

Leia: Ocupando cargos iguais, mulheres ainda ganham até 34% menos que homens

Faculdades e outras formas de adquirir habilidades

O Brasil, no entanto, é o país mais otimista quanto à sua educação superior. 67% concordam que a universidade não fornece as habilidades necessárias para um trabalho eficiente. Na Índia, essa porcentagem é bem maior, de 82%. Na França, de 79%. No México, de 73%. E na Espanha, de 70%.

Os profissionais brasileiros também mostraram entusiasmo com outras formas de aprender – e os cursos online são a mais popular delas. 47% dos pesquisados no país disseram que aprendem novas habilidades por meio de cursos online. Em seguida, ficou o treinamento patrocinado pelas empresas, com 31%, e os livros, com 10%.

Leia também:

Executivos em formação: cresce a demanda das empresas por cursos corporativos

O valor da educação para a geração Z

Artigos relacionados

Comentários

comentários

 youjizz

best replica watches

  blog.aidol.asia youngteens.net a-coon.com

PASSWORD RESET

LOG IN